Adriano de Souza no comando

Imagem: Cestari/Pipe 2015
Adriano de Souza Pipe 2015 – Imagem Cestari

Memória. Ainda bem que a internet tem o poder de refrescar quem a perde vez ou outra. O grande público incentivou e empurrou a “onda” brasileira rumo ao topo da elite mundial de surfe ainda que alguns especialistas tenham remado contra. Mas afinal quem pode contestar a determinação da natureza? Quem é capaz de derrotar a fúria conquistadora? E vamos parar já com esse “blá,blá,blá” sobre os rumos da temporada 2016.  O Brasil é – pela primeira vez – a maior potência, a bola da vez, o país a ser batido. Com ou sem o talento de grandes surfistas como Mick Fanning e Owen Wright, é o momento do surfe brasileiro e só isso importa. Nossa seleção tem 10 representantes, 10 brasileiros entre os top 34 da divisão principal, 2 campeões mundiais consecutivos e 3 surfistas entre os 5 melhores do ano passado. Ninguém precisa provar nada!

O post de hoje é para lembrar que apesar da crise econômica e política e da corrupção que envergonham o país,  “gente” ainda é nossa matéria prima fundamental. Não aquela “gente” que causa desapontamento, desesperança e descrédito, e sim a “gente” que faz combustível da dificuldade e semeia nas ondas o futuro de um esporte.

É hora de celebrar o surfe brasileiro e se apoderar da excelência conquistada. Vamos bater palmas para nossos surfistas e panelas para a corrupção. Mas que tal começarmos também à alimentar dentro “da gente” a transformação que desejamos. Adriano de Souza percorreu mais de uma década para conquistar o primeiro título. Exercitou humildade, foco e perseverança para chegar onde queria. Tornou-se aquilo que havia sonhado e fez de si um multiplicador.

E lá na Gold Coast austrália neste momento, Adriano de Souza, Gabriel Medina, Filipe Toledo, Ítalo Ferreira, Jadson André, Miguel Pupo, Alejo Muniz, Alex Ribeiro, Wiggolly Dantas e Caio Ibelli aguardam o sinal verde para o início da temporada 2016. A janela da etapa está aberta com prazo de realização até 21 de março. Filipinho defende o título da etapa e assim que a buzina soar a seleção entrará na água para multiplicar talento e esperança. Pode acreditar!

Semana passada conversei por WhatsApp com nosso campeão. Recém casado, feliz, motivado e focado… vejam só o sorrisão do cara que multiplicou orgulho e admiração e fez por merecer estar onde está, e ser quem é. Quem manda agora, é o capitão Adriano de Souza.

Obrigada Adriano. Boa sorte Brasil:)

 

facebooktwittermail

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *