Filipe Toledo: Meu pai, meu amigo

ftoledopai

“Nem sempre os membros de uma mesma família estão ligados por laços de sangue” – me lembro de ler esta frase ainda muito garota com uns 7 anos de idade na figurinha de um álbum que eu colecionava na época. Ela ficou marcada na minha lembrança porque eu não entendia o seu significado. O tempo, as experiências e a maturidade me ensinaram na prática e hoje sei que minha família cruza fronteiras.

A experiência ensinou ainda que o contrário também é legítimo. Muitas vezes não é o sangue a definir quem é família. No surfe então, o agente condutor desse laço está mais para a água salgada do que qualquer outra coisa. De uma forma ou de outra eu acredito que o que nos une verdadeiramente àqueles aos quais pertencemos é a conexão.

No capítulo de hoje da série com Filipe Toledo falamos exatamente disso, de “conexão“. A conexão entre pai e filho, entre Ricardinho e Filipe Toledo. Falar disso é especial porque eu tive a chance de assistir aos dois competindo, de participar um pouco dos bastidores dos últimos 16 anos dessa família e porque me encantam a força e o silêncio da conversa no olhar desses dois. Hoje eu estou falando de “gente” e não de candidato ao título, vitórias, derrotas, técnicas e manobras. É, o assunto aqui é conexão.

Meu pai morreu há 3 anos quando o coração dele não aguentou mais funcionar com menos da metade do músculo. A morte não levou consigo a conexão. Meu pai só pode ser esquecido quando morrer a última pessoa que o conheceu. Ele se faz presente em nossas vidas (minha e de meus irmãos) porque se empenhou em melhorar a sua própria versão, admitiu falhas, pediu desculpas, escutou, aprendeu… ensinou.

Gosto de acompanhar Ricardinho e Filipe aprendendo e ensinando juntos, aprimorando suas versões. Eles não podem fazer isso na segurança do anonimato porque agora são figuras públicas, mas não se escondem. Que sirvam então de inspiração para qualquer um que inadvertidamente pense que o “ser pai” é um mero título para o “ser filho” e vice-versa, porque não é!

 

 

 

 

 

 

facebooktwittermail

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *