Miguel Pupo: “Tô loiro, e daí?”

mpupo_toloiro

“Foi uma promessa que eu fiz antes do evento começar (WQS Prime de Maresias/nov). Se eu ganhar o campeonato eu pinto meu cabelo”, revela Miguel Pupo.

Missão dada, missão cumprida! No dia seguinte à vitória o surfista fez a mudança radical e ficou loiro! Wagner e Samuel Pupo, pai e irmão, imitaram o visual semanas depois e assim, loiro e aliviado, Miguel Pupo está agora no Havaí para a última e decisiva etapa do circuito mundial.

A promessa envolvia muita emoção e recorrer a fé tem funcionado pra ele. Miguel precisava daquela vitória para se manter na elite em 2016 e além disso estava com saudade do gosto da vitória há dois anos já. Quando perguntei sobre esse “gosto”, o gosto da vitória, ele explicou muito bem.

“Na verdade o gosto dura pouco, dura no máximo no dia e no dia seguinte. O que fica mesmo é a alegria no coração de missão cumprida …”

São muitos surfistas, 96 em alguns eventos, para apenas um lugar no pódio e uma preparação de meses, anos. A vida leve e descompromissada dos vinte e poucos anos é abreviada pelo compromisso com treinamentos, saúde, patrocinadores e resultados. Quando um surfista da elite coloca os dois pés em cima de uma prancha num campeonato, ele carrega tudo isso. Talvez por este motivo seja difícil para a maioria deles sair do mar sorrindo para as câmeras depois de uma derrota. Foi Miguel Pupo quem me disse, em outra entrevista, que uma das coisas que ele mais detesta é perder para ele mesmo. É ser derrotado não porque o adversário foi melhor naquele dia e sim porque ele, naqueles 30 minutos, não conseguiu desempenhar o melhor de si.

Este é Miguel Pupo! 🙂

No próximo episódio, dia 15/12, Miguel fala sobre a disputa do título mundial 2015. Não perca!

facebooktwittermail

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *