Quem quer ser Gabriel Medina?

_U5A9482

[intro-text size=”25px”]– Eu não sei, eu fiz o que eu pude, o mar estava bem difícil de se posicionar… Foi uma falha e quero pegar logo o Havai. (Gabriel Medina)

[/intro-text][divider type=”thin”]

Gabriel Medina chegou nesta quinta-feira (23) ao Brasil para repetir a frase acima numa entrevista coletiva que espera por ele em São Paulo na sexta (25), e outra no sábado (26), no Rio de Janeiro. Apesar do desejo de voltar a treinar e manter o foco, compromissos comerciais com seus 10 gigantes patrocinadores e mídia fazem parte do roteiro nessa breve volta pra casa.

Gabriel ficará duas semanas em Maresias, no litoral de São Paulo, e depois parte para o Havaí. De lá, só volta com o título. É o que ele e todos esperam. Expectativas demais em cima do garoto? É possível! Expectaticas minhas, suas e de todos nós que esperamos desde antes de Gabriel nascer o inédito título mundial para o Brasil.

Perguntei a ele ainda em Portugal: “você tem a mesma idade de Kelly Slater ao vencer seu primeiro título Mundial. Vinte e dois anos depois ele ainda está aqui disputando mais um. Você se vê fazendo isso daqui 20 anos?”.

medina_reproducao

Gabriel sorri fazendo contas na cabeça e me responde: “Não sei. Eu primeiro tenho que ganhar o meu primeiro, né?, pra depois poder pensar nisso. Ainda não ganhei nada e estou concorrendo com o Mick (Fanning) e com o Kelly (Slater). Quando eu ganhar o primeiro eu posso pensar… Onze vezes campeão mundial ou algo do tipo? Mas, por enquanto, quero ganhar o meu primeiro.”

Não deve ser fácil ser Gabriel Medina nessas horas. Não deve ser fácil ser Gabriel Medina na hora de encarar 3 metros ou mais de face no Tahiti. Não deve ser fácil ser o surfista que divide as ondas e a área de atletas com o maior do mundo – Kelly Slater –, ainda mais quando este está jogando toda a pressão em cima de você. Não, não deve ser fácil ser o “cara brasileiro” a chegar no Havaí lutando pelo título, com todos os ingredientes locais que botam fogo em qualquer caldeirão: o crowd (muito surfista querendo pegar a mesma onda) e o localismo.

Definitivamente eu não queria se Gabriel Medina. Por isso, ele é único. Cuidado ao julgar! #vaimedina

_U5A9475
Fotos: Tó Mané e Fabio Dias | Medina com a prancha: Reprodução/Instagram
facebooktwittermail

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *